sábado, 6 de junho de 2015

Em diversos países, animais auxiliam na recuperação de pacientes e crianças especiais, e no Brasil?

A presença de animais em hospitais como parte no tratamento de pacientes, comum em países como Estados Unidos e Inglaterra, ainda engatinha no Brasil, mas já há projetos de lei tentando mudar esta realidade.
Em âmbito federal, um projeto de lei para regulamentar o uso de Terapia Assistida por Animais (TAA) no Sistema Único de Saúde (SUS), e outro foi protocolado na Câmara de Vereadores de Porto Alegre para autorizar a presença de animais em hospitais. Enquanto isso, pets só do lado de fora.
Poucas instituições no país têm certificação internacional que autorize a entrada de pets nesses estabelecimentos. Um deles, o Hospital Albert Einstein, de São Paulo, passou por três anos de testes e treinamentos com equipes para conseguir a liberação para a visita de animais de estimação aos pacientes, mesmo àqueles internados em unidades semi-intensivas. 



Qual a importância deste tipo de tratamento? E o que médicos e profissionais dizem?

Conforme a psicóloga Karina Schutz, especialista em terapia cognitivo-comportamental e diretora da Pet Terapeuta, tratamentos que utilizam animais na recuperação de pacientes e desenvolvimento de crianças já vêm sendo aplicados em diversos países, contabilizando resultados de sucesso. Na Inglaterra, onde estudou por três anos e meio, pôde comprovar que o estímulo dos pets em ambientes hospitalares, por exemplo, ajuda não somente o paciente, mas toda a equipe que convive com o animal:
— Quando os bichos entram, o ambiente muda. Os enfermeiros ficam mais sorridentes e os pacientes acabam apresentando inclusive mais tolerância à dor. A presença dos animais promove uma quebra na barreira do estresse presente nestes locais. 
Para Joice Peruzzi, veterinária responsável pela Associação Gaúcha de Atividade e Terapia Assistida por Animais (Agata), os estudos que vêm sendo realizados desde a década de 1960 indicam que o contato do paciente com o seu animal de estimação, ou até mesmo com um animal desconhecido, pode trazer melhoras de saúde e qualidade de vida, que vão desde a redução na pressão sanguínea e nos batimentos cardíacos até a sensação de felicidade e relaxamento.

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Poderemos fazer uma interação animais e recursos digitais?

Sim, nosso grupo buscou por aplicativos e jogos que já empregam esta interação, um deles é o aplicativo da Papumba ''Sons de Animais'' disponível para dispositivos móveis com sistemas operacionais OS X e Android.


 



Quais as vantagens que esse aplicativo apresentou?

O aplicativo da Pabumba apresentou uma diversidade ampla de animais, cores atrativas e sons, além de propor desafios ao jogador, fazendo leve passagem a matemática, permiti a um orientador aproveitar-se para a construção de hipóteses de que cada animal pertence a uma categoria. Pretendemos aplicar este app em âmbito escolar para trazermos resultados ao ''todosnomundointerativo''.



quinta-feira, 4 de junho de 2015

Registrado pelo blog o resultado do app da Pabumba mencionado em postagem anterior, satisfatório, a diversidade ampla de animais, cores atrativas e sons conforme dito, despertaram o interesse das crianças no experimento e ativação de seus conhecimentos prévios.


Vamos conferir o interesse do nosso amigo Lucas? 

video


Lucas assim como as demais crianças demonstraram grande interesse pelo app, que trás uma excelente gametização, qualidade nas imagens e som, tornando-se um instrumento de aprendizagem. 

#todosnomundointerativo #recursosdigitais







Já podemos encontrar instituições que possibilitam alunos com deficiência à interação com recursos digitais para aprendizagem.



Resumo: Trata-se da gravação em sala de recursos de apoio pedagógicos em Araçatuba, professores e estudantes com deficiência visual e baixa visão ofereceram depoimentos.